Throw Back Thursday: A primeira vez na Disney a gente nunca esquece!

Acredito que a maioria das pessoas compartilham do mesmo mix de sentimentos e emoções com relação à Disney (e não só os parques da Disney, é que por conta da maneira que como fomos criados, acreditando que a cidade inteira de Orlando é um grande parque de diversões, acabo por generalizar e chamar tudo o que se faz por lá de Disney), com excessão do meu marido que não faz questão nenhuma de conhecer “a terra mágica”. 

Desde pequena eu tinha um negócio toda vez em que ouvia a palavra mágica Disney. Era realmente aquele sonho de menina de conhecer os personagens e viver toda aquela magia. Tive sorte que minhas primas (muito amadas por sinal! Amo vocês) foram algumas vezes e traziam para meu irmão e eu cartões, brinquedinhos e muitas lembranças que guardo até hoje. 

O sonho foi realizado naquele ano de 2010, no mesmo mês que conheci a neve pela primeira vez como explico nesse post. Que ano! Que mês! Dois sonhos realizados num período de tempo tão curto. Que sorte a minha! 

Partimos, eu, minha mãe, Sergio (meu padrasto), Olívia e Rudi, meus irmãos. Pegamos um vôo de São Paulo à Charlotte NC. Esse vôo foi histórico. Demos a sorte de ter um atendente em que apelidamos Fernandão. Fernandão era todo estabanado, batia em todos os assentos e cabeças dos passageiros com seu quadril largo, falava alto, jogava sua comida sem mesmo te dar a chance de escolher entre as duas opções disponíveis enquanto embebedava um rapaz para deixa-lo calado e não reclamar que sua poltrona não inclinava. Mas o highlight do Fernandão daquela noite foi quando ele quis passar um copo d’água para a pessoa que estava sentada na janela, mas com toda sua delicadeza acabou derrubando na juba cheia de laquê da senhora que sentava no corredor. Secar? Pedir desculpas? Nãooooo, Fernandão deu uns tapinhas na cabeleira como quem diz: Pronto, ta seco! e saiu andando… Só de lembrar da cena estou rindo aqui sozinha. Hahahaha

Enfim, desembarcamos em Charlotte para fazer a conexão para Orlando e fomos barrados. Aparentemente meu padrasto tem um sobrenome (quase não comum nos EUA, Black ) e acabamos perdendo o nosso vôo. Uma alma muito caridosa que falava português veio nos ajudar e explicar que estava tudo bem e pegaríamos o próximo vôo disponível, o que aconteceu em poucas horas. 

Chegamos em Orlando. Que calor! Em julho aquela cidade ferve, é um calor quase que insuportável. Muita gente! Mas os ar condicionados… hummmm que delícia. Naquela época eu ainda não tinha problema com os tais. 

Fomos para os parques. Agora já não lembro a ordem, mas fomos primeiro no Magic Kingdom (o do castelo da Cinderela) 2 vezes. Como compramos um pacote de ingressos, tínhamos direito a repetir 1 (ou 2?) dos parques, e esse é o parque que mais nos agradou. Ele é bem aquele jargão da Disney: Onde os sonhos se tornam realidade. Ele tem inúmeras atrações legais, restaurantes, e fora que podemos tirar foto com os personagens (aos 21 anos eu já não ligava tanto pra eles, apesar de os acharem fofos eu já entendia que dentro daquela roupa tinham pessoas que estavam provavelmente morrendo de hipertemia).

Depois do Magic, visitamos o Epcot. Epcot é bem científico e foi o que menos gostamos. Os brinquedos eram muito “futurísticos” mas ao mesmo tempo antigos. Nós fomos em um dos simuladores que meu Deus, fiquei com dor de cabeça o resto do dia. Era como se você estivesse numa nave espacial indo para a Lua, sem gravidade. Ai, só de lembrar me dá arrepios. Quase passamos mal de verdade. Mas claro, como é um parque da Disney, tinham muitas outras atrações legais e que valem a pena de serem visitadas. O parque conta com 11 pavilhões de diferentes países, sendo eles os Estados Unidos, Canada, China, França, Alemanha, Itália, Japão, México, Marrocos, Noruega, Reino Unido. Nesses pavilhões você encontra feirinhas com lembrancinhas do local, um pouco da história de cada país, assim como comidas típicas. De verdade, acho que é a parte mais interessante do parque.


Oh Canada! Essa foto marcou um momento inesquecível em que a Olívia foi andando para trás pra poder encaixar o Totem na foto, e caiu de bunda num canteiro de plantas. Hahaha, demos muita risada!


Animal Kingdom foi o outro e nossa! Que parque gostoso! Você faz passeios safaris no meio de animais selvagens (só dos mansinhos, nada de leões ou onças), e as atrações do parque ficam tão misturadas com a vegetação que você esquece que está num parque de diversões. 


Disney’s Hollywood Studios é o parque onde você vai aprender como os filmes foram feitos e conhecer a história e trajetória do Walt Disney. Muito legal! Um parque com muita ação e cenários de filmes que você com certeza vai reconhecer e achar que está fazendo parte deles. Hehehehe


Depois, fomos nos parques da Universal Studios, que ficam no Universal City Walk, um lugar que vale muito a pena conhecer. Vários dos restaurantes “fast food” famosos dos EUA estão lá, e muitas das lojas mais conhecidas também. Os parques? Maravilhosos! Você consegue claramente perceber a diferença entre eles e os da Disney, a Disney brinca um pouco com aquele seu sonho de criança, já os da Universal brincam com seus sonhos de adolescência. A atração mais famosa (e agora já foi modificada e melhorada, incrementando o Hogwarts Express, o trem que te leva de um parque a outro dando continuidade a história dos filmes do bruxinho Harry Potter) é o castelo do Harry Potter. Nele você entra num simulador que fica rodando o campus da escola de bruxos e também participa de um jogo de Quadribol junto com o Harry. É MUITO legal!! As outras atrações dos parques da Universal não ficam pra trás não, é uma melhor que a outra, e todas com temas de desenhos e filmes conhecidos. 


Fomos também à outra cidade chamada Tampa, que fica mais ou menos 1:30h de Orlando para visitarmos o parque Bush Gardens, o que tem as maiores e mais assustadoras montanhas russas. Eu adoro montanha russa, e os pequenos queriam muito ir, então fomos. Chegando lá, os bonitões perderam toda aquela coragem quando viram a maior delas, a montanha russa que tem uma queda de 180º, que te deixa paradinho ali no topo por alguns 7 segundos enquanto você reza a Ave Maria o mais rápido que pode. Não teve jeito, fiz eles pegarem a fila para a primeira fileira, pra ficarmos de cara com o “perigo”. Olívia quase chorou, Rudi estava tentando ser macho man e ficar tranquilo. A experiência foi maravilhosa. Quando saímos, ela me pergunta com um sorriso imenso no rosto: A fila está pequena, vamos de novo? Daí por diante nem preciso explicar como aquela adrenalina toda nos fez bem né?



A última parada desse post (pq eu sei, está longo) foi nada mais, nada menos que o show La Nouba do Cirque du Soleil. Ele fica no Downtown Disney e é simplesmente maravilhoso. Por ser um show fixo, a estrutura é bem diferente do que eu estava acostumada naquela época (depois desse já assisti mais alguns fixos). O show é lindo, cheio de emoções e friozinho na barriga e se você for pra Orlando, vale muito a pena a visita, ainda mais que o ticket do show, mesmo com a diferença do U$ e R$ sai mais barato do que ir nos shows de turnê do Brasil. 


Bom, falei demais! Mas espero que tenham “viajado” um pouco comigo nessa experiência mágica que foi minha primeira vez na Disney. 
E vocês, já visitaram? Se sim, como foi? Se não, como imagina que seria?

Deixe seu comentário com sugestões do que querem ver aqui no blog.
Obrigada pela visita,
Mirella.

Gostou? Então deixe sua impressão aqui.