Festa de Rua Canadense: Cabane Panache et Bois

Primeiro de tudo, aos cristãos: Feliz Páscoa! Que o dia de vocês seja cheio de momentos felizes ao lado das pessoas que vocês amam 🙂

Agora, eu sei bem que você está aí jogado no sofá depois de comer muito no almoço e bateu aquela preguiça e vontade de tirar um cochilo né? Não sem antes dar uma conferida no vídeo que eu trouxe hoje pra vocês. Peguei vocês pra passearem comigo na 6ª edição de uma festa de rua muito legal e tradicional quebequense do meu bairro.

A festa chama Cabane Panache et Bois e esse ano contou com um aumento de 38% de visitantes comparado ao ano passado, recebeu 55 mil pessoas. Ela ocorre na Rue Wellington, por volta da igreja Notre-Dame-des-Sept-Douleurs. Quantas dores tinham a Nossa Senhora hein? Coitada…

O fim de semana foi de muito sol (e frio, claro) e os visitantes puderam degustar muitas delícias da culinária local. Todas as barracas eram de comércios do bairro e este ano tivemos 4 bares e 13 restaurantes com suas gostosuras. 80 voluntários ajudaram na organização, inclusive umas meninas que ficavam vigiando se você jogava seu lixo reciclável no lugar certo. Gostei disso!

Entre as comidinhas havia: poutine, feijão com maple, sandwiches, sopas, vinho quente, chocolate quente, bolos, e outras muitas delícias típicas de Cabane au Sucre (clique no link e veja o post referente à cabane).

Para as famílias com pequenos, haviam também atividades como “tiro ao alvo”, aprender a serrar madeira, danças e também a produção de esculturas ao vivo.


E como vocês podem ver no vídeo, é óbvio que uma doidinha veio me abordar do nada pedindo meu lanche. Eu não sei o que acontece, mas todo lugar que vou as pessoas doidinhas vem falar comigo, eu devo ter cara de boazinha. Geralmente eu as ajudo, mas essa moça chegou a me assustar gritando na minha orelha: – Posso ter seu sanduíche de frango? Minha reação foi dizer: – Não é de frango. Ela pediu novamente e um policial interviu dizendo para ela parar. Realmente não sei o que acontece, essas pessoas devem sentir que eu gosto de ajudar o próximo e sempre vem em mim, independente da multidão que esteja em volta.

Enfim gente, sem mais delongas… Assistam o vídeo para entender como funcionam as festas de rua aqui de Montréal e assim poderem comparar com as festas das cidades de vocês !





Fico por aqui,
Nos vemos na quinta!
Beijo,
Mirella.

Gostou? Então deixe sua impressão aqui.